Oi! Meu novo endereço é Annie Escreve. Te espero lá!

quinta-feira, 10 de julho de 2008

Sobre PAH e como eu fui parar na universidade aos 16 anos

"Como alguém com 16 anos pode estar no 2º semestre de um curso universitário?"

Eu volto a pergunta a você. Já ouviu falar de PAH? Talvez o nome antigo lhe seja mais comum (ou não): superdotados.
A palavra 'superdotado' me traz à mente a idéia de um super-herói, algo sobre-humano. Não é bem o que eu sou... rs. A sigla PAH significa Portador de Altas Habilidades (não peça pra ver meu porte pq nunca me deram um). - Os pedagogos vivem inventando novos nomes pra coisas que já existem e sempre acham que o nome que eles inventaram não é adequado.

Finalmente... o que vem a ser uma pessoa superdotada, ou PAH?
Eu não sou pedagoga, nem estudei esse assunto... O que eu sei é o que me contam sobre mim.
Portadores de altas habilidades têm facilidade para aprender (e são rápidas), habilidade para resolver problemas, flexibilidade de pensamento, capacidade de julgamento, excelente memória, independência de pensamento. Pessoas assim são criativas, curiosas, críticas, irriquietas, sensíveis... têm liderança, senso de humor desenvolvido. Geralmente desenvolvem talentos específicos como música, dança, informática, esportes...


Após essa rapidíssima explicação do que é PAH (veja mais aqui), vamos ao 'como eu fui parar na universidade aos 16 anos'


Na verdade, eu cheguei na Unioeste aos 15 anos, mas o caminho para isso foi há muito tempo atrás... Mais precisamente, em 1998. Foi quando me identificaram como uma criança superdotada.
Eu tinha 5 anos, mas já sabia ler e escrever, fazer as quatro operações (desde os três anos de idade), e detestava ficar desenhando e enrolando massinha. O processo de aceleração (garantido pelo artigo 59 da LDB, no inciso II) durou alguns meses... Fiquei um tempo fora da escola, fazendo um monte de provas, exames, testes... Inventaram mil desculpas para não realizar o processo de aceleração... Enquanto o processo corria, eu freqüentei a 1ª série (matriculada no jardim de infância) e depois a 3ª série (matriculada na 1ª série). Quando eu estava devidamente acelerada, foi da 1ª para a 4ª série. A partir daí, fiz todas as séries como todo mundo, até chegar na universidade.


Não é preciso ter uma idade X para freqüentar o Ensino Superior. É preciso apenas ter concluído o Ensino Médio (assim como para cursar o Ensino Médio é preciso apenas concluir o Ensino Fundamental), coisa que aquele menino de 8 anos não tinha feito (lembram dele?).


Isso foi só a introdução. Eu não pretendo ficar explanando esses assuntos aqui o tempo todo... Vou falar basicamente sobre três assuntos: ser universitário - ser adolescente - ser universitário adolescente. É basicamente a minha identidade =)

See ya!

Quer ver mais sobre PAH?
Clique aqui e aqui =)

3 comentários:

Jarson Brenner disse...

Puxa Annie!! Se minha soubesse desse aceleração eu tava mais avançado também... puxa vida... na primeira série já entrei sabendo ler, escrever e essas coisas.

Puxa vida...

Parabens... vc foi sortuda.

milah disse...

ola migah..parabêns..ficou muito bom seu blog...adorei ler...ta faltando agora vc publicar um livro..estarei esperando esse momento...^^ sua fã numero 1 que te ama muito camila.

Cíntia Mara disse...

Hmm... eu não tinha lido esse post, mas imaginei q a história fosse essa mesmo. Gostei de ver sua opinião sobre os prós e contras. Mas eu tenho muito mais contras com relação à forma que tratam as crianças nesse sentido.

Não sou uma PAH, mas quando tinha 6 anos tive que fazer teste de QI pra provar que estava apta para entrar na primeira série e conviver com crianças de 8. Isso poderia ter me causado um trauma, sei lá. No mínino, acho que não deveriam ter me contado pq eu estava indo a um psicólogo pra poder entrar na escola. Fui adiantada 1 ano (coisa q eu compensei quando atrasei 2 semestres na faculdade).

Bom... espero que você aproveite a parte boa e continue curtindo a sua adolescência.

Bjo