Oi! Meu novo endereço é Annie Escreve. Te espero lá!

terça-feira, 31 de março de 2009

Você fala a minha língua?

É isso o que passa pela cabeça de todos os leigos que se deparam com a incrivelmente rebuscada e dispensiosa (lá vou eu... haha) linguagem jurídica. Estes seres deste mundo jurídico, frequentemente (auto) elevados à categoria superior aos demais reles mortais, não poderiam deixar de ter vocabulário próprio.

A AMB lançou campanha ao Fim do Juridiquês. Uma preocupação que não é nova, e que só existe por culpa do preciosismo do nosso velho sistema. Teve premiação e livrinho lançado. É claro que nada disso é suficiente para abaixar a moral exagerada que insiste em colocar a justiça acima da sociedade.

Uma coisa que incomoda demais é o latinismo. Deve ser difícil demais traduzri certos termos e perder a emoção de falar diferente dos demais. Novamente, afastando a justiça do cidadão comum, que só sabe o português. Sequer a maioria dos juristas sabe o latim além dos termos técnicos. Sim, é claro que é desnecessário saber latim, assim como é desnecessário falar em latim. Afinal, dói falar 'na dúvida, a favor do réu', ao invés de 'in dubio pro reo'? Só no ego, mas tem cura...

Ah, tem também aquele recurso utilizado para esticar a peça: adicionar sinônimos, palavras smeelhantes, ou com o mesmo significado, que designam uma mesma coisa... viu como é chato? E usar aquelas designações com palavras escabrosas que não deveriam ser desenterradas? Chega a assustar!

Quantas sentenças diferentes você conhece para "Constituição Federal"? Não! Não pare pra contar, é muito trabalho... E eu estou cansada. Dá pra falar devagar? Na língua oficial desta República, como preceitua a nossa Magna Carta?

Sem mais, aproveito para renovar meus votos de estima e apreço.
(Que babação.. Blargh!)


Ah! A Didi, do Direito é Legal (e como, Didi!), está estudando pras provas delas. E daí? Ela tem postado uns resumos ótimos! Vale a pena!

Hotsite da campanha "Fim do Juridiquês"


Campanha no site da AMB

Livrinho da campanha (PDF)

3 comentários:

Marcela Mastroiany disse...

Anne querida! Adorei seu post. Concordo plenamente, ainda mais agora que tb sou uma academica de direito. So não achava que uma campanha dessa sairia da AMB. Achei que eles fossem os primeiros a querer manter o juridiquês. Vamos parar de chamar os estrangeiros de alienígenas e etc né?

Ah, a Conversa ainda não acabou. Resolvi adeirir ao Twitter e mantê-la por lá. Vamos ver se vai dar certo! Meu endereço é www.twitter.com/marcelaconversa, e pra vc se inscerever, é em www.twitter.com

Beijão e boa Páscoa!

Direito disse...

Adoro gente que descomplica a vida! Obrigada pelo link, colega de blog jurídico-gente-como-a-gente!

Ronald disse...

Oras, se podemos complicar, por qual motivo iremos facilitar?

Brasil...